Screenshot_6.jpg

TEM MULHER NO AGRO

“EU CRESCI E APRENDI DEMAIS COMEÇANDO DO ZERO COM A EMPRESA”

A vida profissional da administradora Karol Molina, 28 anos, começou junto com o “nascimento” da concessionária Agrolíder. Depois de formar-se, em 2015, em Campinas (SP), a jovem, então com 23 anos, decidiu voltar a sua cidade natal para trabalhar com o pai que já atuava no segmento de máquinas agrícolas. Logo nos meses seguintes, Iderval Oliveira foi nomeado concessionário Massey Ferguson e abriu a matriz da empresa em Votuporanga (SP). “Eu nunca tinha trabalhado e fazia uns três meses que eu estava aprendendo com meu pai. Fui com a cara e a coragem mesmo e não me arrependo nem um segundo de ter tomado essa decisão. Eu cresci e aprendi demais começando do zero com a empresa. Hoje, a Agrolíder tem pouco mais de cinco anos e vamos começar as obras da nossa terceira loja”, destaca Karol. 

O interesse pela atividade veio desde muito cedo ao observar o trabalho do pai e o quanto gostava do que fazia. “Quando eu era pequena às vezes eu ia com ele para o trabalho. Sempre quis fazer o que ele faz, sempre me imaginei seguindo os passos dele. Em 2015 me formei em administração e em 2016 eu tive a oportunidade de aprender a administrar uma concessionária Massey Ferguson. Amo o que faço e amo o mundo agro”.

A rotina como gerente administrativa da Agrolíder envolve diversas atividades como pagamentos, cobranças, recebimentos, entrevistas de admissão, acompanhamento de ordens de serviço, entre outras atividades. Também cabe à Karol gerenciar, internamente, o desempenho dos setores como venda, pós-venda, financeiro, entre outros critérios, avaliados pela fábrica para o programa Dealer Excellence (vídeo acima) de incentivo à excelência da Rede de Concessionárias Massey Ferguson. Em 2019 a Agrolíder obteve o 3º lugar, entre as 63 concessionárias do país. “Esta conquista é extremamente importante para nós. Somos uma concessionária nova dentro da rede, com apenas cinco anos, e já ter conseguido esta colocação representa muito para todos nós”.

Além da matriz em Votuporanga, a Agrolíder, que tem uma filial em São José do Rio Preto e programa a abertura de mais uma unidade em Barretos, conta com 51 funcionários, sendo dez mulheres. “Acho que o gênero não tem nada a ver com ter mais desafios ou não. A pessoa tem que saber se posicionar, fazer muito bem o seu trabalho e trazer resultados. É isso que importa, você trabalhar e servir ao outro.


Questionada sobre como percebe o movimento crescente da participação feminina no agronegócio, a administradora pontua a importância do segmento para a vida das pessoas. “Para mim, o agronegócio é o passado, o presente e o futuro. As pessoas precisam comer, precisam ter o que vestir, em outras palavras, precisam suprir suas necessidades básicas. Sem o agro nada disso é possível. Quanto ao papel da mulher nesse contexto, hoje e no futuro, consiste em estar por dentro do negócio e preparada para administrar esse setor que move o mundo”.